MinC orienta artesãos do Amapá sobre comercialização de artesanato na Copa Fifa 2014

0
581

Atendendo a uma agenda nacional de visitas em todos os estados do país, a técnica do Ministério da Cultura (MinC), Regional Norte, Ana Caroline, fez uma minuciosa explanação e tirou as principais dúvidas dos artesãos amapaenses a respeito da inscrição de peças artesanais, por meio do Projeto Vitrines Culturais: Exposição e Comercialização de Artesanato na Copa Fifa de 2014. O evento ocorreu na manhã desta quinta-feira, 3, no auditório da Biblioteca Pública Elcy Lacerda, com apoio logístico e de mobilização da Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo (Sete).

O prazo de inscrição se encerra no dia 6 de abril pelo sistemas.cultura.gov.br/propostaweb ou via Correios. A Sete está dando todo apoio aos artesãos quanto às inscrições, visitas às oficinas, fotos das peças, transporte do material (com seguro) até as cidades sedes da Copa.

“Damos toda a logística aos artesãos, uma forma de ajudar a categoria a participar dessa grande vitrine que é a Copa do Mundo. É uma oportunidade deles terem expostos os seus produtos para milhões de pessoas. A orientação do governador Camilo Capiberibe é dar total apoio”, disse o secretário da Sete, Sivaldo Brito.

Empenho

A técnica do MinC, Ana Caroline, ficou impressionada com o apoio do Governo do Estado quanto à participação dos artesãos locais no projeto. “É uma satisfação ver o empenho da Secretaria de Trabalho em assegurar esse tipo de suporte. Percebemos que há envolvimento de todos no projeto. Vocês estão de parabéns e, com certeza, teremos peças do Amapá na Copa do Mundo de 2014 expostas nas vitrines culturais”, avaliou.

Um dos questionamentos na reunião foi quanto ao retorno das peças, que não forem comercializadas, aos locais de origem. Uma empresa foi contratada pelo MinC para fazer o transporte das peças artesanais. Outro ponto é o extravio dos produtos. “Todo o material selecionado dos artesãos do Amapá será enviado com a garantia de seguro, caso haja algum dano”, disse o coordenador de Empreendedorismo da Sete, Carlos Maciel de Medeiros.

Serão 60 mil peças artesanais selecionadas, de valor simbólico e estético, que expressem valores culturais brasileiros. Podem participar artesãos brasileiros de qualquer parte do país, de forma individual ou por meio de grupos produtivos, núcleos, associações ou cooperativas de artesãos.

No Amapá, nove artesãos já formalizaram a inscrição e 26 fizeram a pré-inscrição. Eliane Pioli é uma das artesãs que oficializou a participação no projeto Vitrines Culturais. São brincos e colares feitos à base de escama de peixe. “Estou otimista em ter a oportunidade de ver expostos e comercializados meus produtos durante a Copa do Mundo. Agradeço o apoio dado pelos técnicos da Secretaria do Trabalho e Empreendedorismo, que não mediram esforços para que isso se tornasse uma realidade”, avaliou.

Sobre as peças artesanais

As obras ficarão em consignação. O valor da obra é o artesão ou os grupos produtivos, como associações e cooperativas de artesanato, que determinam o preço de cada peça. Cada artesão deverá enviar seis fotos do trabalho. São três do processo de produção e três da obra em ângulos diferentes.

Pelo edital, as peças devem ser produzidas com os seguintes materiais: argila (barro), argila de bola (ball clay), grés, terracota ou argila vermelha, massa para louça (faiança), argila e polímero, porcelana, prata, ouro, bronze, ferro, borracha; conchas e escamas de peixes; penas, cascas de ovos e crina de cavalo; peles, chifres, ossos, dentes e cascos; fibras naturais: bambu, ratan; e também papel, além de madeira, pedras preciosas, semipreciosas, sementes, casca, raízes, flores e folhas secas, algodão, seda, linho e vidro.

O projeto é coordenado pelo Ministério da Cultura e Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República, e tem como coordenação estadual a Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo, represente do Amapá no Programa de Artesanato Brasileiro – PAB. As peças selecionadas estarão expostas entre 12 de junho e 13 de julho de 2014.

A exposições e comercialização do artesanato acontecerá nas Fifa Fan Fest e espaços culturais das cidades sedes dos jogos, com ênfase em Manaus, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

No dia 14 de março, no auditório da Sete, foi feita também uma apresentação do edital do Projeto Vitrines Culturais: Exposição e Comercialização de Artesanato na Copa Fifa de 2014 a 68 artesãos locais.

SHARE